sábado, 23 de junho de 2007

Centenário da Filarmónica RECREIO DOS PASTORES

O concelho das Lajes do Pico pode orgulhar-se de ter o maior número de filarmónicas centenárias.
A segunda mais antiga do ex-distrito da Horta é a “Liberdade Lajense”, fundada em 14 de Fevereiro de 1864. A seguir vem a “Lira Fraternal Calhetense”, fundada em 1888. Depois, a “Recreio Ribeirense”, fundada em S. Cruz das Ribeiras a 6 de Janeiro de 1900.
Agora chegou a vez da Filarmónica “Recreio dos Pastores”, fundada em 23 de Junho de 1907, na freguesia de São João, também do concelho das Lajes, celebrar o seu primeiro centenário.
Centenárias, no concelho de São Roque existe a “União Artista”, fundada em Março de 1880; e, no concelho da Madalena, a “Lira Madalense”, fundada em 1897.
Segundo os elementos extraídos do livro de actas da Junta de Paroquia da freguesia de São João, a Filarmónica “Recreio dos Pastores” apareceu a primeira vez em público na véspera da festa do Padroeiro, São João Baptista, a 23 de Junho de 1907. Consequentemente ocorrem agora cem anos! Um acontecimento notável que está a ser assinalado com o maior relevo.
Quando a “Recreio dos Pastores celebrou o cinquentenário, lá estive presente e pude testemunhar o entusiasmo dos sanjoanenses em comemorar a faustosa efeméride. Já passaram outros cinquenta anos! E a “Recreio dos Pastores” continua cheia de vitalidade no cultivo da bela Arte, mercê dos seus sócios, dirigentes e tocadores. Porque não dize-lo, de toda a população da laboriosa freguesia de São João? !
“Recreio dos Pastores”, uma denominação significativa a registar a operosa actividade pastorícia da freguesia que, durante muitos anos, foi a mais industrial da Ilha do Pico, pelo delicioso “queijo do Pico” que só ela sabia fabricar.
A industria do queijo, originária da freguesia, pois foi ali que se fabricou o primeiro queijo do Pico, deve ter-se desenvolvido paralelamente à da tecelagem por serem ambas produto da actividade pastoril tão do gosto daquele povo.” (1)
A “Recreio dos Pastores” actuou a primeira vez na homenagem que a freguesia prestou a dois distintos filhos da freguesia: o Dr. Manuel Homem Bettencourt, que emigrou jovem para o Brasil e ali fez o curso de medicina dentária e foi Consul de Portugal, gozando de grande pestígio entre a comunidade portuguesa e a própria nação brasileira; e o padre Cândido Ávila Martins que, depois de ordenado e de haver exercido os seu munus na ilha Terceira, preferiu emigrar para os Estados Unidos da América onde se manteve até ao falecimento, tendo construido, nos poucos anos em que viveu, o templo São Miguel Arcanjo. Faleceu com 35 anos de idade apenas, em 1898”. (2)
Foram fundadores da “Recreio dos Pastores”: José Silveira Pimentel, José Vieira Cardoso, João de Brum Bettencourt, Manuel Vieira Madruga, João Vieira Madruga, João Manuel Madruga, António Brum da Silveira, António Silveira Martins, todos da freguesia de São João, e, ainda, um tal “Caraça de Ferro”; e, da freguesia das Lajes, António Vieira Rodrigues, Manuel Vieira Cardoso (Pataca) e Gaspar Vieira das Neves. O seu primeiro Regente foi Manuel Baptista, da freguesia de São Mateus. Depois, Manuel Garcia da Rosa (irmão do Dr. Garcia da Rosa que, nas férias, prestava grande contributo à Filarmónica chegando a organizar partituras); Professor Manuel José dos Santos; David Leal Ferreira, um auto didacta de muito valor (compunha e fazia arranjos para a Filarmónica, e para teatros, mas tudo quis que o acompanhasse para a eterna morada…); Gil Xavier Bettencourt; Manuel Bernardo Maciel; João Rodrigues Ferreira; Manuel Emílio Porto; Olga Maria Lopes Machado Ávila de Sousa Pacheco; Manuel Joaquim Cabral; Zulmiro Silva, de São Mateus; Mário Maciel e Paulo Renato Bettencourt. Presentemente é seu Regente Anibal Alves Gonçalves.
A“Recreio dos Pastores” teve como primeira sede uma casa junto à Igreja Paroquial, até que, em 7 de Fevereiro de 1935, inaugurou a sede própria, no Ramal. Mais tarde foi esta remodelada e ampliada, sendo inaugurada em 23 de Junho de 2001.
A Filarmónica funcionou sem estatutos, como era habitual na época, até 1932, ano em que foram aprovados pelo Governo Civil os respectivos estatutos, passando a Sociedade a denominar-se “Grémio de São João Baptista” e na qual ficou incorporada a “Recreio dos Pastores”. Em 1995 aprovou novos estatutos, elaborados pelo Dr. José António Bernardo Maciel, advogado, natural da freguesia. Nesse ano foi promovida a inscrição oficial no Registo Nacional das Pessoas Colectivas.
A “Recreio dos Pastores” tem feito diversas digressões pelas Ilhas, Continente Português e Canadá, tomando parte em festividades locais. Visitou Lajes das Flores; Vila das Capelas São Miguel; Santa Cruz da Graciosa; Vila Nova da ilha Terceira; Santa Cruz das Flores; Vila da Povoação; Pedrogão Pequeno, Distrito de Castelo Branco; Norte Pequeno, de São Jorge; e Canadá (Oakville e Toronto).
Teve também o prazer de receber, em visita de cortesia, a “Filarmónica Divino Espírito Santo” de Vila Nova Ilha Terceira; “Eco Edificante” do Nordeste São Miguel; “União Popular” da Ribeira Seca, São Jorge; ”Filarmónica Pedroguense”; “Filarmónica Recreio São Lázaro”, da Ilha de São Jorge; e “União dos Amigos“, das Capelas, São Miguel.
Ao longo destes cem anos participou e abrilhantou, com grande êxito e aceitação do público, não só as festas da própria freguesia como as principais da Ilha do Pico.
Depois de um certo período de encerramento, motivado pela degradação do instrumental, teve o prazer de ver constituída uma comissão para a angariação de novo instrumental. Presidiu a essa comissão o Professor catedrático Doutor José Ávila Martins, saudoso conterrâneo a quem se prestou a devida homenagem. A comissão era constituída pelas principais individualidades de São João. “Nos Estados Unidos teve também trabalho árduo e importantíssimo a Doutora Fátima Martins, personalidade de grande dinamismo, já falecida, que muito trabalhou para a concretização da compra de instrumentos, naquele País”.
Em 23 de Maio de 1992 a Recreio recebeu 32 novos instrumentos, uns vindos da América e Canadá, alguns oferta pessoal de sanjoanenses e outros adquiridos com o produto de dádivas locais.
Em 2002 participou na gravação de um CD, “Sons da Montanha”, conjuntamente com as Filarmónicas do concelho das Lajes, para a celebração dos 500 anos do Município; e em 2006 gravou o primeiro CD para comemorar o seu 1º. Centenário.
A “Recreio dos Pastores” faz parte, como associada, da Federação de Bandas das Ilhas do Ocidente.
Conheci ainda vários dos fundadores, sócios dirigentes, regentes e tocadores a quem presto a minha homenagem.
Presentemente a Filarmónica “Recreio dos Pastores” tem, como Presidente da Direcção, José Armindo Alves Gonçalves, pessoa de dinamismo invulgar que se vem dedicando de maneira assombrosa aos problemas da freguesia, a cuja Junta de Freguesia preside há vinte anos (!), bem como à Casa do Povo local.
Ao Bom Amigo José Armindo, os meus agradecimentos pelos elementos oferecidos para a organização deste texto e votos de muitas felicidades bem como às prestimosas colectividades a que preside.
P.S.-Por lapso involuntário, não foi referido o nome do regente Manuel Xavier Soares no historial desta filarmónica. As minhas desculpas. (Ermelindo Avila)
______________
1)– Madruga, Dr. Manuel Alexandre – “A freguesia de S.João Baptista da Ilha do Pico, na Tradição Oral dos
Seus Habitantes . separata do Boletim do N.C.H. Vol.1, nº 2, Dezembro de 1957, págs, 143/167.
2) _ Carlos,Padre José –“ Daqui houve Missionários Até aos Confins do Mundo”, 2000, pág.21-
VILA DAS LAJES, 18. 06. 2007
ERMELINDO ÁVILA

3 comentários:

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

artur xavier disse...

Embora um pouco tardiamente achei que seria da mais elementar justiça referir um Homem que, também, passou pela regência da "Recreio dos Pastores" e que, certamente por lapso de quem forneceu os elementos ao Senhor Ermelindo, não foi mencionado: Manuel Xavier Soares.
Estou certo de que, ainda, há muita gente em São João que se lembrará da passagem do meu Pai, pela Filarmónica.
Respeitosos cumprimentos.